Não ao corte de verbas na educação

31/05/2019 14:05

O governo Bolsonaro (PSL) descaradamente faz divulgar que foi necessário o corte de verbas no ensino superior para investir na educação básica. Trata-se de uma mentira deslavada na qual só os mais desinformados podem acreditar. Os dados oficiais demonstram que o corte de verbas atingiu das creches até as universidades.

Segundo a Associação dos reitores federais, “interdição do custeio geral foi de 41% o que fatalmente levará ao fechamento de várias instituições, pois faltará verba pagar água, luz, obras, etc". Para muitos estudantes significa o fim das bolsas que garantiam a permanência desses na universidade. Significa também a precarização e até mesmo o fim de vários serviços oferecidos à comunidade, como hospitais universitários (Hus). Segundo a BBC, o corte para as universidades foi R$ 2,4 bilhões.

Segundo o Valor Econômico, o FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação) teve um corte de R$ 984,8 milhões. A educação básica teve um corte de R$ 132,7 milhões. O corte também atingiu os Institutos Federais que perderam cerca de R$ 900 milhões. Isso deixa claro que o governo Bolsonaro ataca a educação pública e não admite publicamente, tentando enganar o povo com tamanha mentira.

A única resposta para essa tragédia é a greve geral. Dia 14/06, estudantes e toda a classe trabalhadora irão parar o país, contra o corte de verbas na educação e contra a reforma da previdência.

 

O governo Bolsonaro (PSL) descaradamente faz divulgar que foi necessário o corte de verbas no ensino superior para investir na educação básica. Trata-se de uma mentira deslavada na qual só os mais desinformados podem acreditar. Os dados oficiais demonstram que o corte de verbas atingiu das creches até as universidades.

Segundo a Associação dos reitores federais, “interdição do custeio geral foi de 41% o que fatalmente levará ao fechamento de várias instituições, pois faltará verba pagar água, luz, obras, etc". Para muitos estudantes significa o fim das bolsas que garantiam a permanência desses na universidade. Significa também a precarização e até mesmo o fim de vários serviços oferecidos à comunidade, como hospitais universitários (Hus). Segundo a BBC, o corte para as universidades foi R$ 2,4 bilhões.

Segundo o Valor Econômico, o FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação) teve um corte de R$ 984,8 milhões. A educação básica teve um corte de R$ 132,7 milhões. O corte também atingiu os Institutos Federais que perderam cerca de R$ 900 milhões. Isso deixa claro que o governo Bolsonaro ataca a educação pública e não admite publicamente, tentando enganar o povo com tamanha mentira.

A única resposta para essa tragédia é a greve geral. Dia 14/06, estudantes e toda a classe trabalhadora irão parar o país, contra o corte de verbas na educação e contra a reforma da previdência.

 

Nem massa de manobra, nem idiotas.

Somos mais de 2 milhões de brasileiros

lutando em defesa da educação pública

e da previdência pública e solidária.

 

 

Contato

Liga Socialista Entre em contato conosco através do nosso e-mail. liga.socialista@yahoo.com